Marketing

5 Erros que empresas NÃO podem cometer no LinkedIn

10/6/2020

Vai começar a usar o LinkedIn para sua empresa?


Essa é uma ótima idéia. Mas não se faz essas coisas de qualquer jeito.


Aqui vamos apresentar 5 erros que uma empresa não pode cometer no LinkedIn, e daremos, claro, pistas de como evitá-los.


1. NÃO SER ATIVO


Vamos combinar que atrair algumas pessoas para sua página e depois largá-la juntando pó e moscas não é a melhor estratégia para criar um relacionamento com seus clientes.


Uma página inerte não atrai nem retém ninguém. Pelo contrário: a paralisia a fará cair no esquecimento.


Ou você alimenta a página da sua empresa com publicações constantes e a mantém atualizada, ou gradualmente aquele pequeno público que você tinha conseguido juntar vai diminuindo, como o ar que vaza de um balão furado.


Postar e sair, para voltar só dali a um mês, eis o que não pode acontecer. Uma empresa no LinkedIn deve estar presente, interagindo com os usuários e à disposição deles para o que precisarem.


Isso inclui, também, responder a TODOS os comentários nas suas postagens.


2. NÃO CRIAR UM CALENDÁRIO PARA AS POSTAGENS


A atividade, no LinkedIn, deve estar aliada à CONSTÂNCIA.


Defina os dias em que fará suas postagens, separe-as por tema talvez, e não falte com o compromisso.


Se você ficar muitos dias sem aparecer, o pessoal vai se esquecer de você. Se, por outro lado, postar cinco vezes por dia, vai cansar o público e perder seguidores.


O calendário deve ser montado na justa medida: não pode nem ser esquecido, nem aborrecido.


Existem gráficos que mostram quais os melhores dias e horários para se postar no LinkedIn. É bom segui-los, mas não cegamente. Acompanhe as métricas e adapte seu calendário para o seu público, dando-lhe um tratamento personalizado.


3. NÃO SABER DIFERENCIAR LINKEDIN DE INSTAGRAM E FACEBOOK


Nós já deixamos muito bem explicado neste nosso artigo aqui qual a diferença entre uma rede social e uma rede profissional.


Mas muitas pessoas custam a entender que no LinkedIn, que é uma rede profissional e não social, o tom e a linguagem devem ser medidos por uma régua diferente da usada no Facebook e Instagram, por exemplo.


Nestas duas redes sociais, o tom divertido e alegre, de quem chama amigos para uma festa, fala com emojis e ri com “kkkkkkk”, cria um ambiente de aconchego e relaxamento que não pode existir no LinkedIn.


Nesta rede profissional, não é que deva existir um clima monótono e chato. Mas um tom mais sério e profissional é o mínimo que se espera. Um zelo pelas informações, pela clareza, pela objetividade, tudo isso é importante para integrar-se ao estilo do LinkedIn.


Quem não se atentar a isso o fará sob pena de não ser levado a sério pelo público. E não ser levado a sério, no LinkedIn, é pior do que fazer piadas sem graça no Instagram.


4. DEIXAR AS INFORMAÇÕES DESATUALIZADAS


Falo aqui daquelas informações sobre sua empresa que ficam no menu inicial da sua Company Page.


Algumas pessoas colocam lá um histórico da empresa; outras, descrevem a maneira dela de pensar e trabalhar; já outros, usam aquele espaço como se fosse um outdoor; outros ainda, tentam combinar tudo isso.


No meio de tantas opções, a regra geral é que as informações sejam sintéticas e atualizadas.


5. CONFUNDIR NÚMEROS BRUTOS COM EFETIVIDADE


É claro que o que define isso é a estratégia, mas não podemos negar que, qualquer que seja o instrumento utilizado, algumas conquistas são mais importantes que outras.


No LinkedIn, por exemplo, o número de curtidas não vale tanto quanto o de compartilhamentos, e este não vale mais que um comentário.


Uma única mensagem de alguém interessado vale mais que mil curtidas de pessoas que rolam a página e te esquecem para sempre.


Aqui vai uma dica das boas: a métrica a que você deve prestar mais atenção é a de cliques no botão personalizado.


É aquele botão de “Saiba mais”, ou “Ver site”, que você coloca na Home da página. O sujeito que clica ali já passou para o próximo nível de maturação, já desceu um pouco no funil de vendas. A partir daí, você precisa estar pronto para recebê-lo, aonde quer que aquele link o leve.


Mas não entendam errado. Não estamos dizendo que as as outras métricas não tenham valor. Pelo contrário. O número de curtidas é importantíssimo, afinal, quanto mais pessoas forem alcançadas, maior a chance de alguém de fato tomar uma atitude. Mas o nível de importância da métrica é medido pelo seguinte: o esforço que a pessoa dedica para tomar a atitude.


É fácil curtir, é fácil compartilhar. Não é tão fácil comentar, menos ainda ir para a página, e muito menos clicar no link para o site ou “Fale conosco”.


Uma coisa é falar com muita gente. Outra é falar com o público-alvo. Outra completamente diferente é acertar em cheio naquela pessoa que precisava de você e vai atrás da sua empresa.


Quando entra no LinkedIn, você quer curtidas ou apertos de mão e contratos assinados? Pois é. Gere conversão, não apenas interação.


O LINKEDIN PROMETE!


É isso aí. Há muito mais que aprender sobre essa plataforma tão rica que estamos aos poucos aprendendo a aproveitar. Mas estes 5 erros são importantes de ter em vista e aprender a evitar.


Consideramos o LinkedIn tão efetivo na estratégia de Marketing das empresas, que dedicamos a maioria dos nossos artigos para falar sobre ele. Se quiser aprender ainda mais (o que eu recomendo), basta acessar nosso blog.


Compartilhar:
Rafael da Fonseca Rosa
Redator e Tradutor
veja todos os posts do blog