5 erros que Videomakers não podem cometer em um job

2/9/2020

Quando precisamos sair de casa para filmar um job, não é raro esquecer de levar algum equipamento ou de fazer alguma checagem.


Chegar ao local de gravação depois de horas de viagem e perceber que esqueceu algo é causa de perda de tempo e constrangimentos.


É uma coisa normal, e acontece com a maioria das pessoas que trabalham no ramo, mas aqui vão algumas dicas para quem não quer passar perrengue na hora de gravar seu filme publicitário.

Conheça os 5 erros que você NÃO PODE cometer:


1) Não fazer estudo do local


Existem coisas que, de tão importantes, são como a espinha dorsal do filme publicitário.


Além do briefing, que é de onde se origina a ideia e o conceito do projeto, e do roteiro, que é o planejamento da concretização da ideia, e além ainda da previsão de custos, outra coisa que deve ser feita é o estudo prévio do local de gravação.


Chegar no local na hora de gravar e ter uma surpresa não é bom. É preciso ir até o local algum tempo antes - até porque, sem conhecer o local, o seu briefing, o seu roteiro, e a sua previsão de custos estarão incompletos ou mal feitos.


Nesse estudo, os principais pontos a ser considerados são:


1) Trânsito


Em “trânsito” eu incluo, além do tempo para se chegar ao local (que é muito importante, e mais pra frente você vai entender por quê), também o reflexo que isso tem nos custos.


Gasolina não é barato, e o tempo de viagem é, digamos assim, um tempo perdido, no qual em vez de trabalhar você dirige.


Saber como está o trânsito e qual o caminho mais rápido é importante para não se atrasar e saber exatamente em que horário você vai chegar lá.


E ir até o local com antecedência é uma garantia.


2) Clima e posição do sol no horário da gravação


Sim, você pode olhar na bússola do Google Maps para ver de que o lado o sol estará no local, e as horas já te dizem a altura dele.


Mas as sombras que são projetadas, as janelas ou rios que dão reflexo, os pontos mais claros e mais escuros, isso você só vai saber quando estiver no local - e talvez a surpresa estrague todo o seu planejamento.


Outra coisa é o clima.


A altitude do lugar pode variar o clima e os ventos. Além disso, você precisa saber se no dia da gravação você terá nuvens, chuva ou ventanias.


3) Posicionamento da câmera


Fazendo o estudo do local você poderá definir qual a melhor posição para sua câmera.


Além do sol e das sombras, que já comentamos, você precisa saber bem o que ficará no plano de fundo das suas gravações.


Não adianta muito pegar um ângulo maravilhoso do prédio, com os raios da aurora refletindo flashes multicoloridos nas vidraças, se por trás está aparecendo um barranco de terra seca ou uma senhora estendendo lençóis no varal.


Outra coisa sobre o posicionamento da câmera é o seguinte. Suponhamos que você imaginou um take muito criativo do prédio. Mas para isso você precisa tomar certa distância e filmá-lo do chão. Bem, se tiver uma avenida naquela direção, você não vai poder fazer a filmagem sem ser atropelado. Parabéns por não fazer o estudo do local.


4) Tipo ideal de equipamento


Sem conhecer bem o local você não vai saber qual o melhor tipo de equipamento para usar por lá.


Você precisa definir o tipo de lente para a quantidade de luz do lugar e a captação do fundo.


Outra coisa é ter a garantia de que os movimentos de câmera escolhidos na hora do briefing e do roteiro vão encaixar bem. Sabendo disso, você já sabe se precisa levar seu slider, seu drone, ou não.


2) Não fazer checklist dos equipamentos


Na hora da gravação, seu fluxo de trabalho e seus equipamentos precisam estar organizados. Ser bagunçado é ruim para o cliente e ruim para a equipe.


Na hora H, seus equipamentos precisam estar funcionando, e, por favor, precisam estar todos lá, com você.


E depois da filmagem, o material gerado tem de ser estruturado para a pós-produção.


Com pelo menos um dia de antecedência, você precisa verificar se estão em dia:


  • Pilhas ou baterias para câmeras e outros equipamentos;
  • Cartões de memória, o da câmera e os reservas;
  • Equipamentos extras que serão usados a depender do seu roteiro; etc.


E com um dia de antecedência porque você precisa:


  • Garantir material reserva para não passar perrengue no local;
  • Ir correndo comprar ou alugar o que estiver faltando;
  • Fazer a testagem dos equipamentos e tomar as providências necessárias.


3) Chegar atrasado


É sério, isso e muito importante.


Você PRECISA chegar com 1 hora de antecedência para preparar o material e confirmar tudo aquilo que você planejou e roteirizou.


Tudo precisa estar prontinho para as filmagens - não queira deixar o cliente esperando.


Chegue com antecedência, arrume seu setup e suas coisas, confira tudo o que já está conferido e deixe tudo no jeito.


Daí, os possíveis problemas serão apenas os imprevistos - porque aquilo que foi previsto você já terá resolvido.


E é só acender a luz, ligar a câmera e entrar em ação.


4) Mexer no celular durante a gravação


Este é outro ponto que, de tão desastroso, nem deveria precisar ser dito. Ver o celular e receber ligações durante a filmagem é uma atrocidade intolerável.


Primeiro que tudo precisa estar desligado ou no silencioso para não interromper as filmagens nem distrair ninguém. Tudo deve ser ignorado. Sua atenção deve ser total e exclusivamente dedicada ao projeto.


Você não quer perder de vista todos os planos que memorizou, eu suponho.


5) Não fazer estudo de referências


O seu cliente tem uma expectativa. Antes de te contratar, ele teve uma ideia - uma ideia que não soube nem imaginar por inteiro nem te explicar direito.


Mas entenda: seu cliente espera algo com base nessa concepção bruta e incompleta que ele teve.


Você, que trabalha com isso, tem uma imaginação pronta para desenhar filmes inteiros num instante. Já seu cliente viu algo na TV ou no Facebook e quer “alguma coisa parecida”.


Entre você que tem conhecimento técnico e o cliente que só quer ver o video pronto logo, a única maneira de comunicação na qual os dois lados se entendam é a troca de referências.


Tente entender a ideia do seu cliente, lembre-se das referências que você tem salvas no Instagram ou no celular, e mostre-as para ele; sugira que ele também apresente as referências dele.


Isso demonstra que você quer entregar o melhor para o cliente. Assim a comunicação é mais fácil e as expectativas podem ser atendidas.


DICA BÔNUS: Esteja aberto para receber feedbacks


Imagine que você fez tudo certo, deu um trabalhão, mas não era nada daquilo que o cliente queria. E ele nem sabia direito o que queria, mas era “outra coisa, não era bem assim”.


Isso pode ser irritante, mas você precisa estar aberto para isso. Nem todos os clientes têm noção do que seja o trabalho publicitário, e isso nem é um problema. Você está gravando um prédio e não faz ideia de como construir um. Cada um com seu trabalho.


Mas você precisa estar aberto para críticas e decepções. Espere por elas, porque virão. Aceite-as e aprimore seu trabalho sempre, cada vez mais.


O filme é uma produção sua, mas não é para você - é para seu cliente.


Os feedbacks negativos podem vir durante a gravação ou depois, quando já está tudo pronto. Sempre esteja preparado para ouvi-los.


Feedbacks positivos também vêm. Seja grato por eles e os use como combustível para ser cada vez melhor.


Mas eu te garanto que, deixando de cometer estes 5 erros que eu listei aqui, feedback negativo vai ser raridade pra você.


Compartilhar:
veja todos os posts do blog