Marketing

Eu preciso mesmo colocar minha empresa no LinkedIn?

28/5/2020

Vamos começar respondendo à pergunta do título: SIM, você precisa colocar sua empresa no LinkedIn.


No nosso último artigo, tratamos da experiência do cliente tal como descrita por Bruce Temki. Trata-se de uma reformulação de mentalidade muito necessária para os negócios de hoje e de amanhã.


É claro que, para incluir a mentalidade da experiência do cliente em um negócio, diversas ferramentas podem ser empregadas.


Mas estamos convencidos (e este artigo é o nosso primeiro passo para convencer você também) de que uma das ferramentas principais e mais eficazes que há é o LinkedIn.


O NOVO MARKETING


“Novo Marketing” é um termo impróprio.  O que estamos chamando de “novo marketing” aqui é toda a forma de se relacionar com o cliente - o que é, afinal, a coisa mais importante para a subsistência de um negócio.


Não é só marketing: é contato com o cliente durante todo o processo. É ser e parecer ser numa união indissolúvel.


É fazer a alma do negócio transparecer para os de fora, e a fachada exterior fazer parte da alma, estando a ela integrada.


Por isso, a reformulação da cultura da empresa se dá em doir eixos:


O eixo interno, no qual é dada certa unidade à empresa, seu modo de agir e seus funcionários.


E o eixo externo, no qual a unidade atingida no eixo interno transparece aos de fora e lhes transmite a mensagem correta.


É justamente na passagem entre um eixo e outro, isto é, na transmissão para os de fora das transformações que acontecem dentro - é justamente aí que nós acreditamos que o LinkedIn se encaixa como um passo decisivo rumo ao sucesso no futuro.


O LINKEDIN


O LinkedIn é uma rede PROFISSIONAL, não social. Isso quer dizer que o objetivo daqueles que ingressam nela não é criar amizades, compartilhar suas viagens e almoços.


É encontrar parceiros, clientes, funcionários, empregadores, contratos e negócios. É conhecer como são as outras empresas por dentro e por fora, seu histórico e suas expectativas para o futuro.


Geralmente, ao ouvir isso, as pessoas caem numa confusão: acham que a certa frieza que as relações profissionais exigem se trata de uma robotização das relações humanas. Não é isso.


A linguagem do LinkedIn é séria e profissional, mas não é por isso menos humana e amigável.


Ao contrário, um relacionamento entre empresa e cliente ou entre parceiros, constituído de maneira agradável, inspira em ambos os lados uma confiança que não aparece quando estamos diante de um caixa de supermercado ou de um caixa eletrônico.


O LinkedIn não é uma rede para robôs, mas para pessoas.


Por isso, nem por ser profissional o LinkedIn deixa de ser social. Esses nomes diferenciam a finalidade das relações, não a sua qualidade. Se as empresas seguirem na linha da experiência do cliente, cada vez mais essa distinção será imperceptível, porque a tendência é que as empresas estejam cada vez mais próximas dos clientes, até que uma relação profissional e uma social pareçam quase indistinguíveis.


PARA QUE SERVE O LINKEDIN?


Os usuários do LinkedIn, seja um indivíduo ou uma empresa, chegam por lá com objetivos claros, não a passeio. O negócio é carregar seriedade no semblante e nas palavras, ser proativo e demonstrar independência: quer dizer, "mostrar serviço".


Empresas lá se expandem; fecham negócios e parcerias. Profissionais encontram cursos de capacitação e especialização. Trabalhadores até arrumam emprego por lá - e empresas contratam.


Em suma, o LinkedIn serve para:


  • Conectar profissionais do mundo todo, mas principalmente aqueles com chances de fechar negócio com você;
  • Organizar os contatos segundo a sua área de atuação e interesse;
  • Aproximar empresas para parcerias, contratações e vendas.


O LINKEDIN É A CHAVE


Sabendo que existe o problema de comunicação; sabendo que a maneira de comunicar-se está mudando; e sabendo como o LinkedIn funciona, não estamos longe da conclusão inescapável: o LinkedIn é a CHAVE para as empresas estagnadas, o primeiro passo para ingressarem de vez nesse nova maneira de fazer negócios.


Além de ser assim emblemático, o LinkedIn oferece a quem nele se aventura alguns benefícios específicos:


AUTORIDADE


Uma empresa que se faz presente diante do público, trazendo-lhe informações sobre o seu ramo e divulgando suas conquistas e qualidades, veste-se de uma autoridade que poucas outras coisas lhe poderiam dar.


Uma empresa assim torna-se referência no seu campo de atuação.


Se ela se revela como é por dentro e por fora -- o que conquistou e como; se ela demonstra seriedade e comprometimento com os clientes e com o meio ambiente; se revela qualidades e sucessos de todo tipo,  o público ficará ansioso para aproximar-se dela.


E no LinkedIn ele pode fazer isso com poucos cliques.


PROMOÇÃO


É claro que promoção publicitária não é o foco do LinkedIn. A plataforma não é uma vitrine virtual que se possa entupir de etiquetas de preço e slogans. Esse tipo de propaganda barata costuma ser apenas encheção de saco, que nós preferimos deixar para os feirantes e mercadores de peixe.


A melhor forma de promover seu produto ou serviço no LinkedIn é, como dito antes, ganhando uma autoridade e tornando-se referência.


Com esse solo assentado e firme, as postagens de vendas têm muito mais chance de obter resultados.


NOVOS CLIENTES


Existem negócios nos quais é preciso buscar novos clientes todos os dias, pois os produtos custam pouco e poucas vendas e poucos clientes não bastam.


Já outros, como a construção civil por exemplo, funcionam de modo diferente: precisam de fidelidade, confiança, e, em se tratando de clientes, a qualidade muito mais importa que a quantidade. Sem contar que, em produtos de alto valor, cada um que surge é porque está realmente interessado.


Ligar-se a cada contato novo é essencial para garantir as vendas, seja em negócios do primeiro tipo ou do segundo.


MOSTRAR PREOCUPAÇÃO COM O CONHECIMENTO


O nome disso é Cultura de Aprendizado.


A cultura de uma empresa é o que a faz única, é o que a faz destacar-se ou esconder-se. Exponha no LinkedIn a cultura da sua empresa, o mindset e os ideais que norteiam suas ações, e atraia assim pessoas que pensam de maneira semelhante.


E, acredite, uma cultura de constante aprimoramento pessoal, profissional e empresarial, com grande interesse em conhecimento, é a que atrai os melhores clientes.


FONTE DE INFORMAÇÃO


O LinkedIn é fonte de informação sobre o mercado, sobre a concorrência, sobre os parceiros, sobre o público alvo, sobre as movimentações dos possíveis clientes, sobre enfim muito do que uma empresa precisa ter na mente e no papel para bolar suas estratégias.


E veja que essas informações, seja sobre novas tecnologias, pesquisas importantes ou estatísticas econômicas, você as obtém de postagens de outras empresas com as quais pode se conectar. É juntar o útil ao agradável.


MOMENTOS DE CRISE


Em momentos em que o contato cara a cara com os clientes se torna difícil, como na pandemia do coronavírus, o LinkedIn pode ser a ponte que não irá permitir os negócios de ficarem pela metade.


Outra: mostrar estabilidade para os clientes é um jeito de já ir se garantindo contra a crise econômica que se seguirá.


Gostou desse conteúdo? Ainda vamos falar muito mais sobre LikedIn por aqui, com dicas práticas, estatísticas, e muito mais. Para não perder nada, assine nossa Newsletter e siga a Taket nas redes sociais.


Compartilhar:
Rafael da Fonseca Rosa
Redator e Tradutor
veja todos os posts do blog