Construção

Marketing Digital para Construção Civil

13/8/2020


A Construção Civil no Século XXI

O mercado da construção civil é muito valioso.


Ele não apenas carrega boa parte da economia. Ele também atua em processos essenciais em quase todas as áreas.


Como a saúde, pública ou privada, pode funcionar, se não há hospitais? Ou a mobilidade urbana, se não há vias? E a educação, sem escolas?


O setor gera, ademais, milhões de empregos e é responsável por 6% do PIB do Brasil. É, de fato, como dizem, o termômetro da economia brasileira. Sabemos se o Brasil vai bem economicamente só de olhar para a construção civil.


E a construção não vai tão bem assim. Nem no Brasil, nem no mundo.


Em 2019, o setor começou a se recuperar por aqui, mas a pandemia veio e tudo mudou para pior.


E agora, mais do que nunca, o setor precisa da ajuda de quem está mais preparado para enfrentar a crise: precisa da ajuda das plataformas digitais.


O poder do Marketing Digital


As mídias de marketing tradicionais ainda existem, e ainda funcionam. Mas não são as únicas, nem as melhores dentre as disponíveis hoje em dia.


O Marketing digital faz parte do processo de evolução para o futuro. Já não se pensa o marketing como mera propaganda - uma placa em alguma rua que nada tem a ver com o negócio -, mas como a aparência necessária do negócio segundo a sua identidade íntima.


Pode estar que você ainda não esteja convencido. Então vamos analisar alguns números.


Leads inbound são 61% mais baratos que outros, e 79% das empresas que possuem um blog tem um retorno positivo sobre seu investimento. O marketing de conteúdo em geral produz 54% mais clientes em potencial do que o marketing tradicional


Quando pesquisam por uma empresa no mapa do Google, 50% dos usuários mobile visitam a loja dentro do período de 1 dia.


Assistir a um vídeo marketing nas plataformas digitais influencia a decisão de compra de 64% dos consumidores.


93% das compras são influenciadas pelas mídias sociais.


E muito mais.



Hoje em dia, dificilmente os clientes correm atrás das empresas. Eles correm atrás das soluções para seus problemas, e esperam que as empresas os encontrem e lhas ofereçam.


A facilidade que os dispositivos digitais garantiu ao público os faz agir assim, e perde a empresa que não souber adaptar-se ao novo modelo.


A importância da Construção Civil


Como dissemos no início, a Construção Civil, importantíssima para qualquer país, é o termômetro da economia brasileira, pois se uma vai bem, a outra também vai, e se uma vai mal, também a outra.


No mundo todo, a queda e recuperação da economia de um país estiveram ligadas à queda e recuperação do setor da construção civil, que afeta a população em todos os sentidos.


Todos os setores de uma economia passam pela construção civil e necessitam dela de alguma forma.


O setor da construção civil emprega 13 milhões de brasileiros, direta ou indiretamente.


Quando os investimentos aumentam, absorve muita mão de obra e afeta positivamente a taxa de desemprego, já que, para ele, a mão de obra humana é muito necessária, ao contrário de outros setores facilmente automatizáveis.


Quando há crescimento ou maiores investimentos, os setores dos quais as construtoras compram também prosperam, pois lhes vendem produtos em grande escala (parafusos, tijolos, pedras, areia, madeira etc.).


Construindo estradas, portos e aeroportos, casas, prédios, hospitais, toda a sociedade é beneficiada ― educação, saúde pública, qualidade de vida, mobilidade urbana ―, todos os setores da economia são afetados.


É sempre válido reafirmar a importância da construção civil para o Brasil. Queiram ou não, todos na sociedade devem um pouco de gratidão às pessoas que construíram suas casas, as escolas de seus filhos, os hospitais a que vão, os restaurantes em que comem, e as ruas por que chegam a todos esses lugares.


O reconhecimento desses milhões de trabalhadores está em não nos esquecermos de que, não fosse por eles, estaríamos hoje morando em casinhas de pau-a-pique.


Efeitos da pandemia na Construção Civil


Com o crescimento econômico surpreendente que o setor teve em 2019, as expectativas para este ano eram bastante otimistas.


Embora ainda distante do nível de 2012, anterior à grande fase de quedas, em 2019 o setor recuperou 2% do seu PIB e recuperou muitos dos 1,2 milhão de trabalhadores que havia perdido até 2018.


De maneira que a expectativa era que o PIB da construção crescesse mais 3% em 2020.


Frustrada ilusão...


Todas essas expectativas foram destruídas pelo repentino alastramento do Coronavírus.


A Abramat fez uma pesquisa e descobriu que, para 67% das empresas de materiais da construção, o desempenho de vendas durante os meses mais críticos da pandemia foi muito ruim.


A previsão de crescimento ainda não foi reajustada, mas todos já sabemos que não chegará perto dos 3% esperados antes. Talvez haja até uma retração.


E nós sabemos há muito tempo que precisamos da Construção Civil para voltar a crescer.


Marketing Digital para Construção Civil: como retomar o crescimento


Para que a construção prossiga, além de depender, em parte, da condição econômica geral da população - devido aos altos preços de seus produtos e serviços - ela precisa se adaptar melhor às mudanças do mercado.


Além de dificultar a atividade em si, a pandemia afeta a comunicação das empresas com seus clientes e fornecedores. Um véu de incertezas é lançado sobre os negócios e seu futuro.


A verdade é que a construção sempre se manteve alguns degraus abaixo dos outros setores em questão de evolução tecnológica. O mundo virtual ainda lhe parece estranho e inexplorado.


Uma das migrações necessárias é para o Marketing Digital.


Como a Construção Civil pode se adaptar ao Novo Mercado


A essência do Marketing Digital


Como dissemos no início, a marca precisa estar presente no mundo digital, porque os potenciais clientes não buscam mais por marcas e sim por produtos e serviços: por soluções enfim.


Eles buscam no Google por aquilo que querem e precisam. Você tem de ser encontrado: precisa aparecer, se mostrar em plataformas como Google Meu Negócio [link do artigo], que posiciona sua empresa no topo da página de pesquisas do Google.


Depois de te encontrar, o consumidor vai querer conhecer bem a sua empresa.


Mas são centenas de outras opções a apenas um clique de distância. Ele não vai te ligar antes de conferir as suas redes sociais e site. E encontrar uma página entregue às moscas não lhe será muito atraente. A sua identidade e profissionalismo precisam estar aparentes ali.


Trabalhando bem no marketing digital, em pouco tempo você vai ganhar uma autoridade na web: vai virar referência e as pessoas logo pensarão na sua empresa quando precisarem do tipo de serviço que você presta.


É aí que está a essência do Marketing Digital. No posicionamento.


Esse processo de posicionar uma empresa é gradual e maleável. Muitos tentam compreendê-lo e capturá-lo em técnicas e fórmulas, mas é impossível. Eles desenvolvem métodos muito úteis, é verdade, mas nada poderá substituir a experiência e a testagem.


Cada empresa se relaciona de um jeito com seus clientes, e cada tipo de clientes busca um tipo de relacionamento com as empresas. As relações humanas econômicas e de troca não são matematizáveis. 


Todo marketing precisa de um plano bem elaborado e próprio. Posicionar-se na internet é posicionar-se diante do seus clientes, não diante de uma generalização metodológica.


Para montar um bom plano, é necessário conhecer bem todas as plataformas por onde o marketing se exerce e saber quais são os passos que melhor conduzem para o objetivo definido pela empresa, de acordo com o seu tipo de público, ou persona. E com base nisso agir corretamente em cada uma das plataformas.


Esse trabalho todo é o que ocupa todo o tempo das agências de Marketing Digital como a Taket. Sabendo do benefício que isso pode trazer para as construtoras (porque há alguns anos trabalhamos com elas), formulamos estratégias com esse tipo de pensamento e propósito.


Se consegui te convencer da necessidade do Marketing Digital para sua construtora, clique aqui e conheça um pouco mais.


Compartilhar:
Rafael da Fonseca Rosa
Redator e Tradutor
veja todos os posts do blog