Marketing

O guia básico de Marketing para escritórios de arquitetura

14/1/2021

Na nossa conversa do outro artigo traçamos o caminho definitivo do marketing para arquitetos.

Principalmente para aqueles que são independentes ou possuem escritórios próprios.

Entendemos naquele artigo qual a dinâmica de venda e clientela de um arquiteto; aprendemos a identificar o perfil do arquiteto, a traçar o perfil do cliente ideal, e com base nisso a montar a identidade da sua marca.

Por fim chegamos à seguinte conclusão: para o marketing digital do seu escritório de arquitetura, precisamos dividir nossa abordagem em 3 pontos principais:

  1. Objetivos,
  2. Canais
  3. Estratégias

Identificar o objetivo (o alvo): a meta final e as metas intermediárias. Recolher os instrumentos. Saber como agir com os segundos para chegar aos primeiros. Como um piloto de corrida que conhece a linha de chegada, conhece o seu carro e sabe dirigir muito bem.

Aqui vamos direto ao ponto e tratar logo das ferramentas Recomendo fortemente que você tenha lido o artigo anterior antes.


Objetivos: a finalidade do marketing para arquitetos


Os objetivos possíveis para uma estratégia de marketing são muito numerosos, e você realmente não precisa escolher só um.

Mas é claro que você precisa de um objetivo central em torno do qual todos os outros vão girar como metas intermediárias. No mínimo, um objetivo mais imediato e urgente diante do qual os outros podem esperar um pouco.

É importante ter em mente, no entanto, que os seus objetivos (se você tiver mais de um) deverão ser escalonados hierarquicamente. Isso quer dizer que você pode ter dois, mas um será subordinado ao outro, menos importante e menos urgente.

Enfim, os principais objetivo de uma estratégia de marketing digital são:


  • Encontrar novos clientes;
  • Fidelizar clientes;
  • Divulgar o nome/marca da empresa;
  • Consolidar a autoridade da empresa no mercado (tornar-se referência);
  • Tudo isso junto!


Veja que estou sendo bem franco com você.

Estou explicando de maneira simples, mas não fingindo que é fácil fazer tudo isso. É para isso, afinal, que existem as agências.


Canais: onde aplicar meu marketing?


Só escolher um objetivo e cruzar os braços não vai te levar até ele. Você precisa arranjar seus meios. Em primeiro lugar, os canais, as estradas que você vai percorrer.

Lembra da nossa alegoria lá do início? Bem, se a chegada é o objetivo, e o carro as estratégias, os canais são a pista. Eu te desafio: pegue um carro de fórmula 1 - o melhor dos carros - e tente correr numa estrada de terra. Você precisa da pista adequada para o seu carro.

Os canais importam como a língua que você fala importa se você quiser dizer alguma coisa. Se eu escrevesse este artigo em grego, não importaria para você a qualidade do meu conteúdo. Da mesma forma, escolher a plataforma correta é essencial.

Se escrevo em grego, falo para gregos. Se escrevo em português, falo para brasileiros. A diferença é a mesma, mutatis mutandis, entre escrever em um blog e gravar um vídeo para o YouTube.

Eu vou aqui falar um pouquinho sobre cada canal, assim você já se reconhece num ou dois deles. (Como fizemos no artigo anterior, eu vou te passando as etapas para você mesmo montar sua melhor estratégia - é assim que funciona na Taket [linkar o artigo do brainstorm]).


Website


Se você quer fazer propaganda do seu escritório de arquitetura (no sentido original de “propagá-lo” a muitos clientes) e se afirmar como autoridade no assunto, você precisa de um site.

Sobre isso não resta discussão. Ele é o agregador de todos os canais que você utilizará. O hub onde todos eles se encontram. É ali, também, que o seu cliente vai encontrar os seus serviços, portfólio e contato organizados num só lugar.

Por isso você precisa de um site profissional e adequado para a sua marca.


Redes Sociais


Também não preciso te convencer de que você precisa estar nas redes sociais.

Mas você sabe escolher em quais ser mais ativo? E a abordagem e linguagem de cada uma, conhece? Não posso te explicar tudo isso aqui, mas como não quero te deixar na mão, vou te dar algumas indicações:


  • Instagram: Focado em imagens, é como um portfólio, não tanto para fechar negócios, mas para construir a imagem da marca e gerar público. Público mais jovem e descontraído, tom menos sério.
  • Linkedin: B2B, sério, profissional. Ideal para compartilhar conquistas e projetos da empresa. Arquitetura corporativa tem que estar aqui.
  • Facebook: Rede social mesmo, focado em conversas, bate papo, compartilhamento de experiências. É bom que dá para conhecer bem o perfil do seu público e estudar diferentes tipos de abordagens - é a mais flexível.


É importante diferenciar os tipos de redes sociais, a abordagem de cada uma, o caráter e o tom que o seu público espera encontrar.


E-mail


O email pode ser um canal bem direto ao ponto. Por lá você pode falar com o lead não genericamente, mas quase pessoalmente.

Vou te dar um insight bem legal sobre o caráter do e-mail que vai te ajudar muito a enxergar o e-mail marketing.

O e-mail é pessoal e profissional ao mesmo tempo: meu e-mail é para o trabalho, mas é só meu. Quando abro minha caixa de entrada, não estou posicionado socialmente, como nas redes, mas estou sozinho no meu escritório.

Esse é o tipo de abordagem genérica do email.


Anúncios pagos


Os anúncios podem ser lançados principalmente por três canais.

  1. No Google: Aqui ele vai aparecer na página do google quando o usuário pesquisar algo relacionado ao seu anúncio;

  1. No E-mail: Aqui você vai estudar o público e enviar e-mails patrocinados diretamente para eles;

  1. Na Rede Social: Um anúncio que vai aparecer no Feed do usuário.


Google Meu Negócio


Mais um que é essencial.

Não adianta fazer todo o resto se as pessoas pesquisam o nome do seu escritório no google e não aparece aquela caixinha do lado.

Por favor, falo pelo seu bem: aprenda a utilizar o Google Meu Negócio e não faça vista grossa para ele.


Estratégias: o que compartilhar nos canais para atingir os objetivos 


É claro que não é viável montar uma estratégia completa aqui com você neste breve artigo. Vou te dizer de que se compõe uma estratégia e listar os elementos mais comuns e eficazes de se inserir em uma.

As estratégias funcionam de dois modos:


  1. Como um plano para chegar aos objetivos;

  1. Como um conjunto de instrumentos a ser aplicados nos canais de acordo com o plano.


Os instrumentos mais básicos para um arquiteto são:


Portfólio


Você precisa mostrar seu trabalho. Não subestime o potencial das redes sociais de ser um tipo de portfólio também, mas trabalhe num portfólio mais profissional de acordo com seu branding, para ser exibido em seu website.


Mostruário físico


Não despreze o bom e velho mostruário físico. O portfólio eletrônico será útil para quem acessar seu site ou seu instagram, mas quem te encontrar no escritório vai querer algo mais palpável.

Muitas empresas elaboram livretos e os entregam aos clientes como um mostruário portátil do seu trabalho. Esse objeto, livreto, cartão ou pasta, pode ser ele mesmo um exemplo da qualidade do seu design, de acordo com seu branding.


Fotos e Modelos de Design


Se você, como arquiteto, promete deixar a casa, o escritório ou a empresa de alguém com uma aparência alegre, seu site precisa passar alegria ao visitante.

Se você promete elegância e seriedade, isso precisa estar visível no seu site e redes sociais logo no primeiro clique.

E, vamos combinar, como um arquiteto, você leva beleza para as construções; então o seu site precisa ser surpreendentemente belo, ou não vai passar muita confiança.


Branding


Todo esse mostruário, de fotos e modelos, precisa estar em acordo com seu Branding.

Defina a impressão que você quer que os clientes tenham de você antes mesmo de falar com você. Todos vão chegar para a reunião com alguma ideia pré-concebida - bom, você pode dar um jeito de que essa ideia seja correta e adequada ao tipo de serviço que você de fato presta.

Um especialista de Branding trabalha com isso. Seja o seu escritório especializado em projetos urbanos ou paisagísticos, em design de interiores ou o que for, ele vai montar algo que transmita o tom do seu trabalho e associar ao nome da sua marca as ideias que você quer que o cliente tenha sobre você.

Construir e fortalecer sua marca é essencial para qualquer ação de marketing.


Marketing de Conteúdo


Também é possível utilizar as redes sociais, ou um blog integrado ao seu site, para criar conteúdo relevante para atrair seu público.

O conteúdo possível sobre arquitetura é abundante, e o tipo que você vai produzir vai depender do seu objetivo.

Você pode dar dicas técnicas, se quiser atrair outros arquitetos.

Ou dicas de organização básica para clientes.

Pode reunir modelos inspiradores, se quiser contribuir com a imaginação do seu cliente.

E também pode escolher o tipo de mídia que vai utilizar: artigos, postagens em redes sociais, vídeos, fotos, infográficos, as opções são muitas.


Confie no marketing boca a boca


Nem todo marketing é digital. Confie no boca a boca.

É o tal do “marketing de indicação”: faça bem feito e ofereça um excelente atendimento e seus clientes não hesitarão em indicar seu serviço para amigos e conhecidos interessados.


Participe de eventos


Participar de eventos e concursos da área e relacionados à área pode te ajudar a fazer bons contatos comerciais com fornecedores, parceiros e clientes.


Mas o que eu devo inserir na MINHA estratégia?


Aqui entra o item 1 de uma estratégia de Marketing: o plano. Qual plano efetivamente utilizar, e quando, de que jeito?

Essa é uma pergunta que não posso te responder aqui. Varia muito de caso a caso. Cada estratégia, por mais que siga as diretrizes à risca, é única.

E não necessariamente você precisa escolher uma só. Pode utilizar todas integradas. E não necessariamente precisa utilizar todas. Pode escolher poucas.

Isso é algo que se resolve se sentando na mesa de reunião com os consultores de uma boa agência de marketing digital (como a Taket).

Mas também não vou deixar na mão você que não quer gastar dinheiro. Prometo escrever em breve um artigo sobre como desenvolver uma estratégia de marketing para te ajudar nisso. Siga a Taket no LinkedIn e assine nossa Newsletter.


Compartilhar:
Rafael da Fonseca Rosa
Redator e Tradutor
veja todos os posts do blog